Caraguatatuba

Novo espaço realizará até mil atendimentos diários à idosos e pessoas com deficiência em Caraguatatuba

Ricardo Hiar
Ricardo Hiar

Centro também atenderá até 100 pessoas por dia em turno integral

Inauguração do complexo, que possibilita diversas práticas, aconteceu nesta segunda-feira (18)

Por Ricardo Hiar, de Caraguatatuba

Os idosos e pessoas com deficiência, que residem em Caraguatatuba, agora contam com novo espaço para a realização de diversas atividades, tanto para a promoção da saúde, quanto para integração, lazer e entretenimento. É que a prefeitura inaugurou nesta terça-feira (18) o CIAPI (Centro Integrado de Atenção à Pessoa com Deficiência e ao Idoso, que terá capacidade para atender até mil pessoas por dia.

Além de espaços múltiplos, como piscina adaptada, sala de jogos, sala de tv, quadra esportiva, academia, espaço para fisioterapia, sala de atendimento ao portador de deficiência visual, entre outros, o centro ainda terá condições de oferecer atenção diária, em tempo integral, a 100 pessoas. 

Nesse caso, idosos e pessoas com deficiência, que são semi-dependentes e estão em situação de violação de direitos e vulnerabilidade social, poderão passar o dia no CIAPI. No local eles receberão atendimento médico, psicológico, fisioterápico, assim como poderão participar de diversas atividades eletivas, que tragam mais qualidade de vida. Pelo menos 25 cuidadores foram contratados para atender esse grupo, que também fará as refeições e receberá os cuidados de higiene pessoal no local.

Segundo Ivy Malerba, secretária dos direitos da pessoa com deficiência e idoso, o centro funcionará oito horas por dia e oferecerá diversas atividades. No caso das pessoas com deficiência, serão atendidas aquelas com idades superiores à 18 anos. Profissionais que atuam nas políticas de proteção social da cidade já estão fazendo visitas e verificando, por ordem de prioridade, os pacientes que deverão frequentar o Centro Dia. 

Já as demais atividades estão com inscrições abertas e serão disponibilizadas para todos os interessados da comunidade. O espaço ainda funcionará em parceria com outras instituições do município, para promover a integração entre os idosos. 

Investimentos

O CIAPI recebeu o nome Carlos Antonio da Silva, que em 2013 faleceu aos 99 anos e era pai do prefeito Antonio Carlos da Silva (PSDB). Silva agradeceu a homenagem durante a cerimônia de inauguração e disse que a construção desse espaço se deu por conta da demanda existente em Caraguatatuba. 

Ele conta que foram investidos na construção cerca de R$ 5 milhões e o valor de manutenção será de, aproximadamente, R$ 300 mil por mês. “Algumas estatísticas mostram o quanto a população de idosos tem crescido, então era necessário fazer algo nesse sentido para atender essa demanda”, explicou.

Tanto que, segundo conta, os investimentos para essa área não vão parar por aí. “Já estamos dando andamento à construção de dois asilos na cidade, um no Santa Marina e outro no Jaraguazinho. Também vamos construir um centro como este, mas menor, no Perequê Mirim”, completou.

O prefeito diz que apesar de fornecer mecanismos de acesso aos idosos e pessoas com deficiência, como o transporte para levá-los ao centro de convivência, ele resolveu fazer outro no Perequê por conta da distância do bairro até a região central, assim como a demanda desse tipo de serviço, que é grande naquela localidade.

Ao lado do CIAPI, está localizada a Vila Dignidade, condomínio residencial construído há alguns anos pelo Governo do Estado, e abriga idosos que têm autonomia para viverem sozinhos, mas não possuíam residência própria. A proximidade do centro de convivência ao conjunto residencial, permite que os idosos que lá vivem, também pratiquem as atividades múltiplas e desfrutem de tais recursos. 

Frequentadores

Antes de tomar a forma de um complexo, a área onde está instalado o CIAPI possuía um salão, que foi construído originalmente para funcionar como um mercado municipal, mas que depois foi transformado numa área onde eram oferecidas aulas aos idosos e deficientes, como ginástica, música e dança.  

Maria José da Silva, 63 e o marido Francisco de Assis Silva, 68, começaram a frequentar o local há cerca de quatro anos, por indicação de uma fisioterapeuta e afirmam que os resultados para a saúde foram muito positivos. 

Com o início das reformas, há cerca de um ano, eles tinham opção de ir para outro espaço e continuar as aulas, mas resolveram esperar para retomar tudo no novo centro. Juntos há 43 anos, o casal resolveu ir ver de perto as novas instalações e gostaram do resultado.

“Eu já estava sentindo muito falta, mas agora vamos voltar com tudo, com mais estrutura, mais opções. Ficou muito bom”, contou Silva. Maria José também está otimista. “Aqui sempre foi ótimo e será melhor ainda. O que eu mais gosto é das amizades que fazemos. É tudo muito animado, alegre, a gente conversa, viaja, faz piquenique. Eu gosto muito”, completou.

Pessoas com deficiência visual

Entre os espaços do centro, um que chama a atenção é a sala de atendimento à pessoa com deficiência visual. No local, há vários recursos de tecnologia destinadas às pessoas com esse tipo de deficiência. Uma prova de que a educação inclusiva é importante, e pode fazer diferença na vida de quem tem oportunidades nesse sentido, é a própria técnica responsável por esta sala no CIAPI, Luciane Molina.

Ela também possui deficiência visual e fala com bastante entusiasmo de todos os recursos disponíveis no local. “Eu sou fruto da educação inclusiva e sei o que esse espaço pode representar para quem tem deficiência visual”, comentou. 

Conforme disse, a sala atenderá um grupo de pessoas previamente cadastradas, mas também poderá servir para a realização de oficinas por quem deseja aprender o braile e, até mesmo, para visitas cotidianas, de pessoas que buscam entretenimento e poderão ter acesso à livros, jornais e outros recursos, como o acesso à internet – os computadores são capazes de codificar os textos em áudio. Há ainda um scaner, que também consegue converter o texto em áudio. “Uma pessoa com deficiência visual que quiser saber o conteúdo de um jornal pode, por exemplo, colocar nesse scaner e ouvi-lo”, explicou.

Serviço:

Para frequentar o espaço, os interessados devem apresentar condição de saúde satisfatória, atestado pelo médico e realizar a matrícula conforme a disponibilidade de vagas. O CIAPI fica na Avenida Jorge Burihan, 30 – Jardim Jaqueira. O telefone de contato é (12) 3886-3131.

Deixe um Comentário