Cidades São Sebastião

Caravelas provocam queimaduras em banhistas nas praias da costa sul de São Sebastião

Uma das caravelas encontradas na quinta na praia da Juréia, em São Sebastião

Vários banhistas sofreram acidentes com águas- vivas da espécie conhecida como ” Caravela-portuguesa” em praias da costa sul de São Sebastião, nesta quarta(25)

Segundo o GBmar(Grupamento de Bombeiros Marítimos), apenas na praia de Maresias, três banhistas precisaram ser atendidos pelo SAMU após contatos com as caravelas nesta quarta.

Segundo especialistas, o contato com os tentáculos da caravela- que soltam uma substância extremamente urticante,  pode provocar queimaduras e até uma parada cardiorrespiratória.

O aparecimento deste tipo de água-viva nas praias da região é comum nesta época do ano. Elas são trazidas pela correnteza marítima.

Juréia

As caravelas começaram a aparecer n o Litoral Norte na  manhã da última  quinta(19), na praia da Juréia, na costa sul de São Sebastião.

A maioria delas estava morta na areia da praia e foram recolhidas por guarda-vidas e frequentadores. Apesar de sua beleza, este tipo de água viva é muito perigosa.

Em geral, elas surgem em tons de roxo, rosa ou azul, e é aí que mora o perigo. Uma bolha colorida no meio da praia pode facilmente chamar a atenção de crianças”, contou o guarda-vidas Carlos Carlos Wirthman, que trabalha na Juréia.

Segundo ele, naquele dia, onze caravelas foram recolhidas e enterradas para que fosse evitado qualquer tipo de lesão aos banhistas, principalmente, crianças, que são muito curiosas.

Por isso, o cuidado de retirar os animais da areia da praia. Segundo Carlos, no mar a “picada” deste tipo de água viva requer muito cuidado, pois a queimadura é dolorida.

A diferença de uma água viva para uma caravela é que a caravela pode ser identificada facilmente à distância por sua bolha azulada que fica por cima da água, enquanto as águas-vivas são transparentes e podem passar despercebidas.