Caraguatatuba Cidades

Petroleiros vendem botijão de gás a R$ 30, nesta quinta(20), em Caraguatatuba

Botijão de gás será vendido a R$ 30 nesta quinta(20), em Caraguatatuba

Os petroleiros do Litoral Norte, que aderiram a greve da categoria, vão realizar uma ação inédita em Caraguatatuba nesta quinta-feira(20).

Os petroleiros irão promover a venda de gás de cozinha, ao preço de R$ 30. Dessa vez, a venda do vale gás será feita, a partir das 14h,  na Praça Cândido Mota, em Caraguatatuba. A ação já foi feita em São Sebastião.

Serão distribuídos 100 tíquetes, que darão direito a compra de 1 botijão por família. Os interessados devem apresentar conta de luz ou água no momento da retirada do vale.

Os petroleiros vão aproveitar para distribuir material informativo explicando os motivos da ação e da greve que já dura mais de 17 dias.

A reivindicação por preço justo para o gás de cozinha e combustíveis é uma das bandeiras da greve nacional da categoria, que também envolve a luta pela manutenção de direitos e contra a demissão de aproximadamente mil trabalhadores da Fafen Araucária (PR). Com a iniciativa, os trabalhadores esperam ampliar o debate sobre o tema.

Após a venda será realizada passeata que sairá às 16h, do mesmo local, e seguirá até o centro da cidade. O ato, que é aberto ao público em geral,  terá como lema “Por uma Petrobras 100% estatal, contra as demissões arbitrárias no Sistema Petrobrás e pela redução do preço do combustível”.

No Litoral Norte, aderiram  greve petroleiros do Tebar(Terminal Marítimo Almirante Barrosos), o maior da Petrobrás no país e trabalhadores da UTGCA(Unidade de Tratamento de Gás) de Caraguatatuba. Segundo a Transpetro, nas duas unidades, as operações estariam normalizadas apesar da greve.

Greve

Nesta terça-feira(18), o Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) decidiu pela suspensão de mais demissões feitas pela Petrobrás na Fábrica de Fertilizantes do Paraná (Fafen-PR) até o dia 6 de março. As revogação das demissões era um dos principais pontos da revindicação da categoria.

A decisão aconteceu após audiência de dissídio coletivo de greve movida pelo Sindiquimica-PR contra a direção da Petrobras. A sessão foi conduzida pela desembargadora Rosalie Michaele Bacila Batista.

Ontem, terça(18), a greve nacional dos petroleiros completou 18 dias, somando mais de 21 mil trabalhadores em 121 unidades do Sistema Petrobras. Os trabalhadores seguem mobilizados em 13 estados do país ) para que a direção da empresa atenda a pauta da categoria.

TST

Na segunda-feira(17), o ministro Ives Gandra Martins Filho, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), decidiu considerar ilegal a greve dos petroleiros da Petrobras, iniciada há 18 dias . Cabe recurso contra a decisão. A previsão é de que o dissídio coletivo seja julgado pelo TST no dia 9 de março.

Na decisão liminar, o ministro também autorizou a estatal a impor sanções disciplinares contra os grevistas, entre elas, corte de salário e demissão por justa causa como forma de garantir o cumprimento do efetivo de 90% dos petroleiros trabalhando para não interromper a produção da Petrobras.

Na decisão, Ives Gandra Filho entendeu que a greve é abusiva porque não foram cumpridas diversas determinações de outras liminares concedidas à empresa para garantir as atividades.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: