Cidades Lixo

Prefeituras buscam alternativas para destinação final do lixo

A proposta é a instalação de usinas que gerem energia nos municípios

Na tarde desta quinta-feira(6), os prefeitos das cidades do Litoral Norte estiveram reunidos em Caraguatatuba para discutirem uma solução integrada para a questão da produção dos resíduos sólidos e o seu destino final nos municípios.

Luiz Carlos, representando Felipe Augusto, prefeita Gracinha, prefeito Sato e prefeito Aguilar Júnior

As quatro prefeituras enviam todo o lixo coletado em suas cidades para aterros particulares no Vale do Paraíba. Segundo um estudo no ano passado feito pelo Instituto Polis as quatro cidades do Litoral Norte desembolsam, anualmente, mais de R$ 60 milhões para “exportarem” o lixo para aterros particulares.

Segundo o estudo, as prefeituras de Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba gastam em média cerca de 10% do orçamento anual com lixo. Segundo estimativa, Ubatuba gasta cerca de R$ 11 milhões anualmente com o transporte do lixo; São Sebastião,  gasta cerca de R$ 20 milhões; Caraguatatuba, o gasto chega a R$ 8 milhões anuais; e, Ilhabela, cerca de R$ 2 milhões por ano.

Usinas 

Estiveram presentes os prefeitos de Ubatuba, Délcio Sato (PSD), de Caraguatatuba, Aguilar Júnior (MDB), de Ilhabela, Maria das Graças (PSD) e representando o prefeito de São Sebastião, o secretário de Governo Luiz Carlos de Carvalho.

Ao final saiu um convite oficial do Circuito Litoral Norte e Comitê de Bacias Hidrográficas (CBH –LN) para  mais uma reunião, desta vez com o secretário de Estado de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, que já confirmou a presença em Ubatuba em data que será definida logo após o carnaval.

A proposta para a questão dos resíduos sólidos é a parceria com o Governo do Estado para a instalação de usinas que transformem lixo em energia elétrica nos municípios. Com isso, além de produzir energia limpa que pode ser destinada para abastecer escolas, postos de saúde e outros prédios públicos, proporcionará economia aos cofres municipais eliminando os altos custos do transbordo e, até mesmo, a dificuldade do traslado dos caminhões na alta temporada de verão e que ocasionam o atraso na coleta de lixo.

O município de Ubatuba já está em discussão com o Estado. “Já venho tratando a questão dos resíduos sólidos diretamente com o secretário de Estado Marcos Penido, que já sinalizou positivamente e se comprometeu com uma solução definitiva para o problema. Hoje foi uma demonstração de força e união, quando conseguimos reunir todos os municípios que possuem o problema em comum. Precisamos de soluções definitivas, pois não podemos continuar apenas transferindo o problema para outro município, como é o caso do transbordo”, finalizou Sato.

%d blogueiros gostam disto: