Dersa São Sebastião

Dersa ainda não tem data definida sobre inicio de catamarãs na travessia São Sebastião/Ilhabela

A Dersa informou que ainda não sabe precisar quando deve ser iniciada a travessia de pedestres pelos catamarãs na travessia entre São Sebastião e Ilhabela. A empresa informa apenas que as embarcações devem começar a operar antes da temporada de verão.

A Dersa também informou que ainda não foram iniciadas as adequações nos embarques de São Sebastião e Ilhabela para a operação dos catamarãs.

O uso dos catamarãs deverá agilizar ainda mais o transporte de veículos na travessia, possibilitando um aumento de 20 a 30% na capacidade das balsas.

No dia 19 de setembro, o prefeito da Ilha, Márcio Tenório foi até Santos conhecer o uso de catamarãs na travessia de pedestres

A Dersa operou no último feriado com sete balsas. Foram transportados mais de 37 mil veículos. O tempo médio de espera na travessia, durante o feriado, foi de meia hora, nos dois sentidos.

Apenas no dia 19, o tempo de embarque foi maior, chegando a quatro horas, devido ao excesso de veículos que deixaram a ilha no fim do feriado.  Nos feriados anteriores, antes da chegada das balsas que reforçaram a travessia, o tempo de espera no embarque variou de três a sete horas.

Catamarãs

O uso dos catamarãs por pedestres  será gratuito apenas durante o seu período de implantação, chamado pela empresa de “operação assistida”.

Segundo a empresa, somente após esse período- cujo prazo não foi estipulado, será definido o valor da tarifa, que será cobrada na travessia dos pedestres entre as duas cidades.

A Dersa informou que não sabe ainda quanto tempo durará a operação assistida e que também não é possível, saber neste momento, o valor da tarifa que será cobrada na travessia de pedestres.

Nos catamarãs e lanchas que operam na travessia Santos/Vicente de Carvalho (que é um subdistrito do Guarujá). A tarifa atual é de R$ 1,55. O valor é cobrado em ambos os sentidos.

A travessia feita por pedestres nas balsas não é cobrada pela Dersa. O número de pedestre transportado varia de acordo com a capacidade das embarcações, segundo a empresa.

Cerca de 4 mil pessoas fazem a travessia a pé entre as duas cidades, número que chega a dobrar na temporada de verão e feriados prolongados.

Os catamarãs LS 2 e LS 4, que serão utilizados na travessia de pedestres entre São Sebastião e Ilhabela, foram adquiridos pelo Estado em 2012 e estão ainda em reforma.

A LS 02 custou, na época, R$ 6,7 milhões. A embarcação, apelidada de “Sereia”, tem capacidade para 370 passageiros, é fechada e equipada com ar condicionado, possui poltronas com encosto de cabeça e aparelhos de TV.

Construída em fibra de vidro, utilizada em aviões de grande porte, a LS 02 possui casco duplo, o que garante navegação com maior estabilidade. A LS 02, construída em plástico reforçado com fibra de vidro (PRFV), tem 29,50 metros de comprimento, 9,50 metros de largura e 2,70 metros de altura.

A embarcação foi utilizada na travessia Santos/Vicente de Carvalho, pertencente ao Sistema de Travessias Litorâneas da DERSA. Em 2017, passou por serviços de reforma,  modernização, translado e docagem da embarcação de passageiro e renovação do Certificado de Segurança da Navegação (CSN).

A LS 4 foi construída em 2013, também tem capacidade para 370 passageiros e 50 bicicletas. A embarcação, que ainda não recebeu “apelido”, também operava desde 2013 na travessia entre santos e Vicente de Carvalho, no Guarujá. .

As duas embarcações são mais leve que as utilizadas até 2011 na travessia de passageiros pela DERSA. A LS 2 é equipada com motores de menor potência e consome menos combustível. A manutenção é feita em prazo menor que o das embarcações anteriores.

O embarque e o desembarque de passageiros é muito fácil e mais rápido. O legal é que ela possui acesso separado para pedestres e ciclistas. O bicicletário da LS 2 tem capacidade para 50 bicicletas.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.