Geral Litoral Norte

Cidades da região contam com soro para picadas de aranhas

Por Simone Rocha

Com a chegada do verão os cuidados para evitar a picada da aranha-marrom devem ser redobrados porque elas costumam ficar mais expostas quando o clima está quente. Embora não seja agressiva, ela ataca quando é comprimida contra o corpo, um instinto de defesa natural da aranha marrom.

Geralmente ela fica dentro de armários e por isso entra em roupas e sapatos. Outro local que elas costumam ficar é dentro das casas de veraneio que ficam fechadas boa parte do ano, e também gostam de quintais com madeiras, materiais de construção e mato.

Em relação a picada da aranha-marrom, ela não costuma doer nem coçar imediatamente, por esse motivo muitas pessoas acabam nem percebendo quando são picadas. Uma lesão endurecida e escura costuma surgir várias horas após, podendo evoluir para ferida com necrose de difícil cicatrização. Assim que a pessoa percebe a gravidade da picada é importante buscar socorro.

Caraguatatuba, São Sebastião e Ilhabela possuem o soro aracnídeo usado para o tratamento de picadas da aranha da espécie marrom, como da espécie armadeira. Osvaldo Dias, que mora no bairro Martin de Sá, em Caraguatatuba passou um susto um tempo atrás com a esposa.

“Ela foi picada por uma aranha na praia da Caçandoca, em Ubatuba, mas o local da picada não teve nenhuma reação no primeiro momento. Eu fotografei e enviei para minha filha, que é bióloga e ela mandou lavar bem o local com sabão e aguardar, se tivesse alguma reação era para ir imediatamente para um Pronto Socorro, mas nada aconteceu, o que nos deixou aliviados”, relembra.

A Secretaria de Saúde de Caraguatatuba informou que este soro fica na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Primavera (região central da cidade), que é ponto de referência da administração de soros. E ressalta que o soro só pode ser aplicado em ambiente com aparato adequado e com sala de emergência próxima para casos de choque anafilático ou processo alérgico do paciente. A aplicação do soro é pelo método endovenoso.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Caraguatatuba a demanda deste tipo de caso é pequena e a média anual é de seis aplicações deste tipo de soro. Em Ilhabela o soro aracnídeo é disponibilizado no hospital Mário Covas, mediante prescrição médica, de acordo com a evolução clínica do caso.

Em São Sebastião a Secretaria Municipal de Saúde informou que o soro contra picada da aranha marrom é disponibilizado pelo Governo do Estado e que o soro existe no estoque da rede municipal, aplicado nas unidades de urgência e emergência, sendo que a demanda é considerada baixa.

A prefeitura de Ubatuba foi questionada pela reportagem do Tamoios News sobre a disponibilidade  de soro aracnídeo na rede municipal de Saúde, mas não respondeu até o fechamento da matéria.

%d blogueiros gostam disto: