Política

Cobrança de Zona Azul continua em Ubatuba após vereadores acatarem veto do prefeito

Dos sete vereadores que no mês de junho votaram a favor do fim da Zona Azul, apenas dois mantiveram o mesmo posicionamento

Por Raell Nunes, de Ubatuba

 

Os moradores e turistas de Ubatuba deverão continuar pagando para estacionar em locais onde há indicação da Zona Azul. A continuidade da cobrança foi confirmada esta semana, quando os vereadores acataram o veto do prefeito Maurício Moromizato (PT), sobre o projeto de lei que extinguiria a taxa de estacionamento rotativo na cidade.

Dos sete vereadores que em junho votaram a favor da lei que acabaria com a taxa, apenas dois mantiveram o mesmo posicionamento: Reginaldo Fábio de Matos (PMDB) e Flavia Comitte do Nascimento (PSB). 

Com essa decisão do Legislativo, continuará sendo cobrado o valor de R$ 2 por hora para carros que estacionarem em vias públicas nas imediações do Centro e R$ 10 para automóveis, com placas de outras cidades, que pararem nos arredores das praias. 

Segundo representantes da Comtur (Companhia Municipal de Turismo), a Zona Azul gera empregos para muitos munícipes. O fim da cobrança, nesse caso, representaria a perda de emprego de centenas de pessoas. Conforme apontou a companhia, o capital adquirido com a ação é revertido para benfeitorias em Ubatuba.

Entenda o caso

No mês de junho, sete representantes da Casa de Leis aprovaram a proposta que dava fim à cobrança de Zona Azul na região. Foram eles: Claudnei Bastos Xavier (PSDB), Flavia Comitte do Nascimento (PSB), Daniele Alves Soares (DEM), Ivanil Ferretti (PMDB), Eraldo Todão (PSDB), Benedito Julião (PSL) e Reginaldo Fábio de Matos (PMDB).

Na ocasião, Silvio Carlos de Oliveira Brandão (PSDB) e Manuel Marques (PT) se abstiveram. O único a votar contra foi Adão Pereira (PCdoB). À época, a justificativa do projeto de lei dizia que o objetivo da propositura era cortar cobranças injustas. 

Em algumas falas ficou clara a insatisfação de alguns vereadores. O Bibi disse que Ubatuba virou uma fábrica de multas. O presidente da Câmara comentou que até o comércio estava sendo prejudicado com o que considerava de “cobrança indevida e injusta”. Já o petista Manuel Marques falou que em quase todo o Litoral se cobra para estacionar, pois se trata de uma região turística. 

O Legislativo teve que presenciar protestos em sessões ordinárias. Com cartazes e gritos de guerra, funcionários da Comtur não aceitavam de maneira nenhuma a ideia de findar a Zona Azul – fonte de renda dos manifestantes. A Prefeitura, na oportunidade, fez com que o seu jurídico analisasse a situação. Passado esse processo, o Executivo vetou a lei e a cobrança permanece. 

3 Comentários

  • para onde esta indo o dinheiro cobrado nesse assalto legalizado chamado de zona azul? onde esta as melhorias ditas ?continuar por que gera emprego para municipes? que ganha uma esmola e uma cesta basica? isso é intoleravel.. um absurdo

  • onde esta as melhorias citadas? a cidade esta um caos.. isso é um assalto.. uma afronta aos moradores de ubatuba.. pra onde vai tanto dinhero.. ? um absurdo.. ate mesmo guarda municipal aplicando multa.. sendo isso inconstitucional.. absurdo. a populaçao esta sendo estorquida. zona azul é um absurdo..

  • Essa de cobrar zona azul nas prais é uma ideia das mais idiotas que eu já vi. Um cidade que vive exclusivamente de turistas, deveria ser mais inteligente. Os turistas vão até a cidade, gastam bastante dinheiro, e movimentam a economia. Agora, com essa cobrança abusiva e ilegal, muitos deixam de ir até Ubatuba. Se político tivesse cérebro, fariam uma conta simples e descobririam que isso resulta na verdade em queda, e não aumento de arrecadação. Tenho uma casa na cidade, mas toda vez que vou até uma praia com zona azul é uma chateação, de forma que considero até vender essa casa e deixar de frequentar a cidade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.