Política

Vereadores temem condição estrutural do Teatro Municipal

Foto: Leonardo Rodrigues

Espaço foi criticado pelos parlamentares que afirmam que o local não oferece estrutura suficiente aos frequentadores

Por Leonardo Rodrigues, de São Sebastião

Na última sessão ordinária da Câmara Municipal, os vereadores demonstraram preocupação quanto à estrutura do Teatro de São Sebastião. O parlamentar Edivaldo Pereira Campos (PSB), o Teimoso, quer informações da Prefeitura se há, por parte do novo Governo Municipal, intenções para reformar o local. Segundo Teimoso, o Teatro se encontra em estado precário.

“O teto está despencando, tem goteiras no centro do palco, ar condicionado precário, várias poltronas sem assento”, cita alguns problemas. Para ele, o local não oferece segurança suficiente para quem frequenta. “Pelo contrário, a estrutura que antes servia para promover a cultura, passou a oferecer risco à população”.

O Teatro Municipal, inaugurado em setembro de 2001, já foi alvo de requerimento do primeiro mandato de Teimoso. Ele destaca que, só em 2015, foram apresentados 50 espetáculos, que reuniu ao longo do ano um público de 11.304 pessoas, e que também serviu para captar doações de seis toneladas de alimentos não perecíveis para o Fundo Social de Solidariedade da cidade.

Elias Rodrigues de Jesus (DEM) ficou preocupado com a apresentação da propositura de Teimoso. Ele revelou que no próximo mês pretende realizar no Municipal um evento religioso, mas que diante dos questionamentos e constatações do colega parlamentar estar receoso. “Fiquei preocupado agora de colocar um público de 400 pessoas”, desabafa.

Risco de cair – O vereador Ernane Primazzi (PSC) admitiu que o local necessita de reforma, mas tomou a palavra para tranquilizar os colegas quanto ao que interpretou como insinuações de que o Teatro possa estar com “risco de cair”. “Eu concordo que o Teatro merece intervenção, mas não vai cair”, afirma. Para Ernaninho, a necessidade do Teatro Municipal está na realização de manutenção periódica no local. “O que falta é higiene e limpeza. Isso sim, já passou da hora”, avalia.

No entanto, o Professor Gleivison Gaspar (PMDB) discorda de Ernaninho. “Aquilo lá vai cair sim”, afirma ao citar que parte do local já está interditada. Gleivison aponta que, além do risco de queda, o município perde um espaço cultural que abriga congressos, seminários, apresentações, espetáculos, convenções e diversos tipos de eventos. Para o Professor, trata-se do principal espaço cultural disponível do município e que necessita de reforma urgente.

Complexo Cultural e ‘muquifo’ – Já Reinaldo Alves Moreira Filho estendeu as necessidades apontadas por Teimoso. Para o presidente da Câmara Municipal, a Prefeitura deve não somente reformar o Teatro, como também intervir na Biblioteca e Videoteca Municipal, próximos ao Municipal. “A Biblioteca é uma vergonha, até pior que o Teatro, assim como a Videoteca. Há uma necessidade de investir nesse Complexo Cultural Educacional”, considera.

Mas Reinaldinho também citou a Capela São Gonçalo, no Centro Histórico da cidade, e que abriga o Museu de Arte Sacra, no qual classificou o estado atual do local como “muquifo”. “Quem vai lá não parece que está em um lugar com peças valiosas, parece que está em um muquifo”, diz.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.