causa animal Geral

Seu pet está velhinho? Saiba quais cuidados são necessários

É necessário fazer algumas alterações no hábito e na rotina do animal e ficar atento às mudanças de comportamento

A velhice chega para todos os seres vivos. Apesar de a gente desejar que nosso melhor amigo seja sempre ativo e cheio de energia, em algum momento, a idade vai fazer com que seu comportamento mude.

Mas isso não é motivo para não proporcionar conforto e carinho para quem passou a vida toda nos dando muito a amor e gestos de companheirismo e fidelidade. Saiba quais são os cuidados necessários para que o seu pet se torne um velhinho saudável.

Alimentação especial

Fornecer alimentos de qualidade e ricos em vitaminas e nutrientes deve ser uma preocupação que devemos ter com nosso pet desde o seu nascimento. Quando ele está idoso, o cuidado deve ser redobrado.

Quando ele atingir a idade entre 7 e 9 anos, é preciso nutri-lo de acordo com suas novas necessidades . O intervalo entre uma refeição e outra deve ser diminuído para que ele não passe muitas horas sem comer e desenvolva quadros de hipoglicemia.

No entanto, a quantidade de alimento deve ser reduzida. Depois de certa idade, o metabolismo de cães e gatos passa a precisar de um número menor de calorias. A necessidade energética diminui, aproximadamente, 20% em comparação aos pets mais novos.

Não deixe de consultar o veterinário para que ele indique a ração mais apropriada para seu amigo e oriente acerca das porções e dos horários das refeições. 

Visitas regulares ao veterinário

Seu amigo deverá ser consultado em intervalos menores. A saúde dos pets idosos tende a ficar cada vez mais fragilizada, o que implica na baixa imunidade, menor capacidade para resistir às infecções e aumento de chances de desenvolver doenças, como catarata, diabetes, cardiopatias, problemas ósseos e problemas nos dentes. 

Por isso, ele deve ser monitorado com maior frequência para que seja possível fazer o diagnóstico precoce de possíveis enfermidades, o que auxilia no rápido início do tratamento e proporciona maior qualidade de vida ao pet.

É muito comum que animais idosos desenvolvam problemas renais e hepáticos. Diante disso, é necessário fazer exames laboratoriais e de imagem para acompanhar o funcionamento desses órgãos. 

Calendário de vacina e vermifugação sempre em dia

Independente da idade, todos os animais tendem a contrair doenças causadas por vírus, bactérias e protozoários. Portanto, é de extrema importância manter o calendário de vacinas atualizado.

O médico veterinário orientará se houver necessidade de inserir novas vacinas, de forma a manter seu amigo protegido e ajudar as células de defesa do organismo. 

Medicamentos para bloquear o surgimento de vermes também devem ser administrados normalmente. O mesmo serve para antipulgas e anticarrapatos. 

De olho no peso

A tendência é que os pets idosos desenvolvam sobrepeso por conta do metabolismo, que fica mais lento. A obesidade pode gerar diabetes, problemas na coluna, nos joelhos e enfermidades no coração.

Para evitar quadros como esses, mantenha seu amigo ativo, mas sempre lembrando que ele possui suas limitações físicas e que é preciso respeitá-las. Caminhe com ele por alguns minutos e promova brincadeiras que não demandem esforço físico intenso. 

Com essa rotina, além de garantir que ele esteja saudável fisicamente, você proporcionará estados de alegria e felicidade. Isso é fundamental para evitar quadros relacionados à depressão, doença que pode atingir pets idosos. 

Adaptando o ambiente

A artrite é uma doença muito comum em animais idosos, principalmente naqueles de grande porte.  Ela acaba limitando a mobilidade porque causa uma ligeira rigidez nas articulações ou, dependendo do quadro, pode promover total debilidade. 

Para não forçar as articulações do seu amigo, evite que ele circule por locais onde haja escadas. Caso ele suba na cama ou no sofá, adapte um apoio para que ele suba sem muito esforço.

Evite deixar a caminha do seu pet em espaços onde há muita umidade ou corrente de ar frio. Sol em excesso também não é bom.  A capacidade pulmonar de pets idosos diminui consideravelmente, o que pode gerar doenças respiratórias, como pneumonia.

O ideal é que ele tenha à sua disposição um cantinho arejado, confortável e de fácil acesso sempre que ele quiser tirar um cochilo. 

Mudanças no comportamento

Ficar mais quietinho e dormir por mais tempo é um sinal de que seu amigo está na terceira idade. Além desse comportamento, ele pode fazer xixi em locais diferentes daquele que foi ensinado que era o correto.

Não brigue com ele. Assim como acontece com os humanos, a bexiga deixa de funcionar corretamente. Se ele fizer xixi no lugar errado, é porque não conseguiu segurar a urina por muito tempo. 

Se isso acontecer, nada de castigá-lo. O ideal é limpar o local sempre que ele não estiver vendo para que ele não assimile que fazer xixi é proibido. Isso pode gerar outros problemas do trato urinário.  

Você também irá sentir que, devido a todas as dificuldades que são próprias da velhice, ele ficará mais dependente de você em todos os sentidos: para comer, brincar, dormir entre outros.

Por isso, não hesite em fazer o máximo de companhia e que você está sempre por perto, para apoiá-lo, dar muito amor e fazer com que ele se sinta membro de uma família em que ele pode sentir conforto e segurança. 

Quanto mais você ficar atento aos sinais que ele dá, mais fácil será identificar se há a necessidade de procurar por um veterinário 24h e garantir que ele receba sempre os cuidados necessários e adequados para a situação.

 

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: