Informe Publicitário

Como ter uma renda extra durante os anos de graduação?

FOTOS: DIVULGAÇÃO

É dito, popularmente, que os anos de faculdade e de graduação serão os melhores anos de toda sua vida.

Se levarmos em consideração fatores como festas, experiências, conhecer pessoas diferentes, finalmente estudar algo que você escolheu e todas as possibilidades existentes nesta idade, sim, são realmente os melhores anos de toda a vida.

Contudo, a vida dos universitários também não é das mais fáceis. Ao precisarem lidar com provas, relacionamentos profissionais, prazos e pressão acadêmica, há um desgaste significativo em relação à saúde mental dos estudantes.

Este desgaste surge, sobretudo, em alguns períodos, como no final da graduação, onde as maiores perguntas que permeiam a mente dos estudantes são como fazer um pré-projeto de TCC e como estruturar todo este projeto acadêmico e, também, como adquirir uma fonte de renda extra na faculdade.

Esta realidade é acentuada dentro das universidades públicas, onde a disponibilidade de bolsas é diretamente ligada ao investimento vindo do estado para as universidades.

Em um momento de recessão econômica, é extremamente improvável que a maior parte dos alunos de graduação e pós-graduação tenha bolsa.

Com este contexto em mente, é comum pensar em maneiras alternativas de complementar a sua renda e também de trabalhar para pagar contas, caso seja necessário.

Trabalhar como freelancer

O ideal para se economizar a longo prazo é o investimento econômico mesmo na pandemia, porém, isso não é viável para um universitário. Para se investir é necessário um capital inicial, coisa que é rara na vida de jovens estudantes.

Logo, excluindo os investimentos a longo prazo, a primeira maneira que pode lhe render alguns ganhos e talvez uma fonte de renda extra é trabalhar como freelancer.

Freelancers são profissionais que não possuem um contrato fixo, seja com uma empresa, um contratante terceirizado ou um órgão institucional.

Ao invés de receber mensalmente e ter sua carteira assinada, os freelancers oferecem serviços especializados e são pagos mediante a realização de serviços

Logo, a vida de um profissional freelancer pode ser meio instável, visto que você é pago pelo que trabalha, necessariamente.

Atualmente, o mercado de freelancers anda mais agitado do que nunca no meio digital, graças ao isolamento e a rotina de home office imposta pela pandemia.

Alguns sites que você pode se cadastrar para oferecer seus serviços são:

  • Upwork
  • Fiverr
  • Linkedin
  • Flexjobs
  • Toptal
  • SimplyHired

Cada uma destas plataformas de freelance possuem especificidades que as diferenciam entre si, portanto vale a pena dar uma pesquisada antes de se cadastrar de acordo com suas habilidade e áreas de atuação.

A Upwork, por exemplo, trabalha com freelancers atuando em áreas como branding, design, jornalismo e programação.

Formatar trabalhos nas normas da ABNT

Como foi visto anteriormente, uma das maiores preocupações dos universitários é em relação a adquirir uma fonte de renda fixa durante seus anos de graduação.

Contudo, em termos acadêmicos, certamente uma das maiores dores de cabeça de todos os alunos é a aplicação adequada das regras da ABNT em relatórios e projetos científicos.

Como a maior parte dos estudantes têm dificuldades para formatar seus trabalhos acadêmicos de maneira adequada, alguns alunos oferecem esse serviço e conseguem tirar uma renda extra através da formatação de artigos de colegas.

Vender objetos artesanais

Outro método que é recorrido por alguns universitários é a realização de trabalhos e objetos artesanais, como por exemplo:

  • Pulseiras
  • ColaresChaveiros
  • Pingentes
  • Mandalas
  • Filtros dos sonhos

Contudo, esta maneira acaba sendo um pouco mais inacessível, visto que poucas pessoas possuem talento, disposição e tempo para aprender a trabalhar com artesanatos durante a faculdade.

Porém, se você já sabe e já tem experiência com isso, é uma ótima maneira de se arrecadar dinheiro nos anos de graduação.

Cuidar de pets e animais de estimação

Por fim, também existem vários casos de universitários que trabalham de tutores de pets aos finais de semana.

Isso ocorre, sobretudo, em universidades públicas, onde muitos alunos são de outras cidades e acabam retornando às suas cidades de origem nos finais de semana para ver a família.

Este contexto cria uma oportunidade para alunos que já são da cidade onde estudam ou que voltam com menos frequência para cuidar de animais de estimação de outros alunos que não estão presentes aos finais de semana.

Esta maneira é muito procurada por diversos alunos, sobretudo por aqueles que fazem cursos relacionados às ciências biológicas e medicina veterinária.

Por fim, todas as maneiras são extremamente recomendadas a todos que desejam ter uma renda extra e também àqueles que precisam pagar suas próprias contas e mensalidades durante os anos de graduação.