Cidades Notícias São Sebastião

Associação Comercial de São Sebastião manifesta indignação com restrições da Fase Vermelha

Foto: Tamoios News

A Associação Comercial e Empresarial de São Sebastião divulgou o posicionamento da entidade sobre as medidas de restrições anunciadas pelo Estado na última sexta-feira (22) para conter a segunda onda do coronavírus. Sete regiões entraram na Fase Vermelha, entre elas a região de Taubaté, que inclui as 4 cidades do litoral norte paulista. Após o anúncio do Estado, o prefeito Felipe Augusto (PSDB) anunciou que São Sebastião aderiu à Fase Vermelha  e que as restrições passam a valer a partir desta segunda-feira (25).

A entidade representativa do comércio da cidade manifestou indignação em relação às medidas, justificando que o comércio tem sido o setor mais prejudicado com a pandemia e que o alto índice de contágio e as taxas de ocupações das hospitalizações não é culpa dos estabelecimentos comerciais.

A Associação criticou o fechamento dos comércios que respeitam as medidas sanitárias de distanciamento, limite de ocupação e equipamentos de proteção individual (EPIs) para os colaboradores, enquanto aglomerações continuam acontecendo em praias, festas clandestinas, entre outros.

Banner divulgado pela entidade.

Leia na íntegra

Associação Comercial e Empresarial de São Sebastião comunica que o município de São Sebastião aderiu a Fase Vermelha do Plano São Paulo no enfrentamento à COVID-19. As restrições da Fase Vermelha passam a valer a partir de segunda-feira (25).

A ACESS vem a público manifestar sua indignação, em relação às medidas tomadas que colocaram o município de São Sebastião na Fase Vermelha do Plano São Paulo. Tais medidas afetarão diretamente o comércio, que desde o início da pandemia é o setor mais prejudicado.

O alto índice de contágio e taxas de ocupações das hospitalizações não é culpa dos estabelecimentos comerciais. Todas as medidas sanitárias, distanciamento, limite de ocupação, EPIs para os colaboradores, são respeitados. Muitos profissionais do setor trabalham corretamente e estão sendo punidos injustamente, mais uma vez .

Acompanhamos os esforços da Administração Municipal, que implementou ações que tornaram a cidade referência no combate ao coronavírus e líder absoluta no isolamento, consequentemente registrando em São Sebastião a menor taxa de ocupação de leitos nas UTI’s da região.

Nós, apoiamos o Prefeito Felipe Augusto em não fechar o comércio nas Festas de Final de Ano, como determinado pelo Governo do Estado; esta medida deu um respiro aos comerciantes que já haviam feito seus estoques e contavam com as datas para repor perdas acumuladas durante o ano.

Percebemos que não há um estudo minucioso sobre as regiões, levando em conta, inclusive, o fato de que São Sebastião, não deveria seguir o que é proposto para as cidades do Vale do Paraíba, como São José dos Campos e Taubaté, que têm suas realidades absolutamente diferentes, com números e condições distintas e que, portanto, deveriam ser melhor avaliados pelo governo.

A atitude do Estado deixa claro o total descaso com uma classe que tem se dedicado tanto ao combate à pandemia, exatamente porque depende das suas portas abertas e seu estabelecimento funcionando para sustentar sua família e seus funcionários.

Por fim, as pessoas precisam se conscientizar que a maior prevenção é a proteção individual (máscara), isolamento vertical, tratamento preventivo, seguindo o protocolo do Ministério da Saúde, para evitar o agravamento da síndrome gripal provocada pelo vírus.

Pois, mesmo com o fechamento do comércio, sabemos muito bem que a aglomeração em São Sebastião continuará acontecendo, pois é de conhecimento de todos o alto índice das pessoas aglomeradas em Praias, Festas Clandestinas, entre outros.

Associação Comercial e Empresarial de São Sebastião.