Caraguatatuba Cidades

Aos 56 anos, moradora de Caraguatatuba inicia no fisiculturismo e já fatura prêmios em sua primeira competição

Claudette de Vita - a esquerda da foto

Claudette de Vita é uma mulher que sempre acreditou que os desafios são bem-vindos e podem ser realizados com dedicação e esforço. Aos 56 anos ela conheceu o fisiculturismo e decidiu testar seus limites, como resultado pelo seu empenho, menos de um ano após o início dos treinos, conseguiu duas colocações no primeiro campeonato em que participou, em São Paulo.

Claudette sempre praticou esportes, já sofreu algumas lesões no joelho ao jogar tênis e no ligamento cruzado interno ao treinar Hapkido,  (Hapkido é uma arte marcial sul-coreana especializada em defesa pessoal)) o que a afastou dos esportes por algum tempo, mas não a impediu de continuar praticando diversas modalidades esportivas para cada nova fase da vida.

Ela pontua que a persistência sempre foi um motivador para continuar apesar dos desafios: “Comecei a treinar ciclismo, entrei para a equipe municipal e cheguei a ser vice-campeã de ciclismo speed do Vale do Paraíba. O vice-campeonato não foi porque eu era boa nisso, foi porque eu era persistente, eu nunca faltei em nenhuma prova e pontuava pouquinho, mas em todas”, relembra de Vita.

Com o fisiculturismo não foi diferente. Ela conta que há dois anos começou a ver postagens nas redes sociais de um amigo que é instrutor de musculação e treina as suas alunas para a hipertrofia muscular. As imagens despertaram seu interesse e após pesquisar, descobriu uma categoria do fisiculturismo que não conhecia, a modalidade Bikini Fitness – divisão feminina onde as competidoras devem apresentar uma beleza natural com os grupos musculares firmes e bem definidos, mas com baixo percentual de gordura e sem volume muscular.

A partir daí, Claudette, que já fazia musculação em casa e também pedalava passou a treinar com o plano de se tornar uma competidora na modalidade, “em janeiro de 2021 comecei na academia e o meu plano era virar uma Barbie do fisiculturismo”, relata De Vita.

A atleta recebeu um convite para participar de uma competição que aconteceria em dois meses, “eu achei que não estava preparada pois comecei em janeiro e as mulheres se preparam por anos para competir, também sou vegetariana e é difícil conseguir chegar a um quantidade suficiente de proteína para crescer os músculos. A alimentação era um desafio, o tempo de treino era um desafio, mas como a competição me motiva, me empolguei e me inscrevi”, conta empolgada.

A alimentação e os treinos precisaram ser adaptados para a competição e em dois meses, participou da categoria máster – para atletas a partir de 35 anos – “me colocaram na categoria máster e lá só tínhamos duas concorrentes, eu fiquei em segundo, o que é perder para uma competição com duas pessoas, mas com o tempo que me preparei é uma vitória para mim voltar com colocação, o que foi surpresa para mim”, pontua.

Claudette também participou da categoria bikini fitness e conseguiu uma 3ª colocação “foi uma emoção fora do comum e isso tudo serviu para me motivar para treinar mais para, no próximo campeonato, ficar em melhores colocações”, conta.

Sua inspiração para iniciar como atleta de fisiculturismo aos 56 anos é o pai, Fausto de Vita Benatti, de 89 anos. “O que sempre me estimulou e foi meu ídolo é meu pai, que aos 89 anos anda de bicicleta todos os dias, ele carpe quintal e sempre foi esportista, jogava futebol. Ele sempre teve muita saúde e essa é a minha meta, ter muita saúde e quem sabe chegar aos 100 anos como o meu pai vai chegar, saudável e ativa”, finaliza.

Texto: Claudinéia Rodrigues