Caraguatatuba Meio Ambiente

Dia da Reciclagem: Lixo na natureza ainda é um problema no Litoral Norte

Dia Mundial da Reciclagem

Hoje, 17 de maio, é comemorado o Dia Mundial da Reciclagem. A data foi instituída pela Unesco, Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, e visa despertar a reflexão sobre a melhor forma de descarte do lixo que consumimos.

Segundo um estudo da ONG WWF – Brasil, em 2019, com dados do Banco Mundial, que analisou mais de 200 países, o Brasil é o quarto maior produtor de lixo plástico do mundo, com 11,3 milhões de toneladas, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, China e Índia.

Desse total, 91% são coletados e apenas 1,28% são efetivamente reciclados. Ainda conforme os dados, o Brasil produz, em média, 1 kg de lixo plástico por habitante semanalmente, e o volume de plástico que vaza para os oceanos é de cerca de 10 milhões de toneladas por ano. Dados preocupantes e um problema que vem crescendo, pois o lixo é um dos principais poluentes do meio ambiente.

Lixo na Praia

“Um dos princípios da natureza é a sua funcionalidade em ciclos. A decomposição do material orgânico produzidos pelas florestas, por exemplo, é feita pela ação de microrganismos como fungos e bactérias. O material final da decomposição, então, nutre outras formas de vida. Já os novos tipos de lixo (plástico, isopor, etc.), materiais que demoram anos e até décadas para a sua decomposição, se tornam um problema sério para a vida. Podemos até tirar o lixo de nossa casa, do nosso bairro, da nossa cidade, do estado e até de nosso país, mas nunca de nosso do planeta terra”, alerta o ambientalista Pedro Caetano Santos. Por isso, encontrar formas de reaproveitar esses materiais é uma das melhores maneiras de diminuir os impactos negativos ao meio ambiente.

Para tentar amenizar esse problema, em Caraguatatuba, litoral norte de SP, de acordo com a Prefeitura Municipal, a reciclagem é uma das práticas sustentáveis que vem sendo realizada no município, através de diversos setores que investem desde o descarte até a separação e reaproveitamento de materiais.

Já existem três ecopontos, estão localizados no bairro Golfinhos, Martim de Sá e Massaguaçu, há também a coleta seletiva, duas cooperativas de reciclagem, bituqueiras ecológicas, locais adequados para descarte de pneus e ainda as instalações de Pontos de Entrega Voluntários (PEVs) que estão sendo instalados em 38 escolas municipais.

Ponto de Coleta em Caraguatatuba

Outro trabalho realizado no município é feito por Gigliardi Ferreira, conhecido como Guardião da Costeira. Desde 2007 ele limpa costeiras, trilhas, mangues, leitos de rio, cavernas, pontos turísticos, encostas e cachoeiras de Caraguatatuba e divulga tudo em seu perfil no Instagram.

O Guardião realiza o trabalho sozinho e, no último domingo de cada mês, realiza um mutirão que reúne amigos e apoiadores da causa. No último encontro foram recolhidos 125 kg de lixo apenas em um mangue.

“Eu amo esse trabalho, que consiste em proteger o meio ambiente e conscientizar as pessoas do lixo que jogam na natureza e do perigo que tem de poluir nossos mares. Os peixes hoje em dia já estão consumindo plástico. Então, esse trabalho de Guardião veio para mostrar para as pessoas que há muito lixo ainda no nosso litoral.”, diz Gigliardi, que conta com a ajuda de apoiadores comerciantes de Caraguatatuba para realizar o trabalho.

Na foto: Gigliardi Ferreira / Arquivo Pessoal

Preocupado também em fazer sua parte, o ambientalista Pedro Caetano criou a ACA, Associação Caraguatas Ambiental, que nasceu na luta pela preservação da área de restinga da praia Mococa. “Fazemos o replante da vegetação de Jundu, cercamento para proteção das áreas de jundu, que é a proteção natural das praias. Também trabalhamos com a limpeza e preservação de nossos manguezais. Fazemos parte da Rede Litoral Norte de Manguezais e da Rede Nacional dos Manguezais. Um trabalho voluntário, que fazemos mensalmente”, conta.

Iniciativas como estas contribuem e beneficiam o meio ambiente, pois, a falta de conscientização de grande parte da população, ainda é um problema. “Galera vai pra curtir, deixa o lixo, bebe, fuma, larga bituca de cigarro, latinha, saquinho de salgadinho, não tem respeito, então isso acontece em todo nosso litoral”, desaba Gigliardi.

Pedro Caetano completa: “o consumismo, a industrialização e o novo estilo de vida demandaram mudanças estruturais intensas, o que acabou rompendo com os ciclos naturais da vida. Reciclar diminui a quantidade de resíduos em aterros e protege o meio ambiente. Por isso a importância da separação dos lixos recicláveis dos orgânicos.”

Consumo consciente, descarte correto, reciclagem e reaproveitamento de materiais são ações que precisam estar presentes no dia a dia da população. Se cada um fizer a sua parte, começando pelos seus hábitos e ações, irá contribuir para um planeta melhor e mais saudável.

Próxima ação

No próximo domingo (22), a partir das 8h30min haverá uma ação de limpeza no lado sul da praia da Mococa, em Caraguatatuba, com catação de lixo e micro lixo. Todos estão convidados. Haverá sacos de lixo e luvas para os participantes. 

Por Cynthia Louzada