Cidades São Sebastião

Covid-19: Empresários doam à Fatec máquina que produz escudos protetores para profissionais da saúde

Empresários doam equipamento para a Fatec-São Sebastião

Um projeto desenvolvido pela Fatec de São Sebastião encontrou apoio de cinco empresários da região para a produção de escudos protetores de rosto ( Face Shield) ) para profissionais da saúde, que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus nas cidades do Litoral Norte.

Equipamento doado por empresários de Ilhabela

O projeto, que foi idealizado pelo professor Daniel Jung, para produzir uma quantidade maior de máscaras dependia, no entanto, da compra de uma máquina, uma impressora 3 D mais potente. Jung comentou o assunto com a diretora do Tamoios News, Traud Rennert, que passou a procurar empresários para colaborar com a Fatec na compra do equipamento.

Escudo protetor produzido pela Fatec

Júlio Cardoso, do projeto Baleia à Vista, em Ilhabela, foi o primeiro a aderir. Cardoso conseguiu a colaboração de mais pessoas ligadas ao Iate Clube Ilhabela e obteve os recursos necessários para comprar o equipamento.  O grupo de empresários investiu cerca de R$ 35 mil na compra do equipamento e do material.

“Eu decidi comprar a máquina e as chapas iniciais pagando do próprio bolso. Uma forma do Projeto Baleia à Vista (e eu mesmo) poder ajudar neste momento de guerra, especialmente os profissionais de Saúde que estão na linha de frente. Junto comigo mais quatro diretores do YCI (Yatch Clube de Ilhabela), Mauro Dottori, Frederico Loureiro, Alex Costa Pereira e Paulo Isola  estão me ajudando”, contou Cardoso.

A máquina adquirida pelos empresários foi comprada na terça-feira(7), na capital e chegou nesta quinta(9), em São Sebastião. O pessoal da Fatec já iniciou a produção dos escudos protetores.

Vídeo mostra como o equipamento recorta o material para a produção das máscaras:

 

“Quando fui procurado pela Traud, conversei com o Daniel Jung e decidi investir na compra da máquina e no material necessário para dar início a produção. É um equipamento muito importante para a proteção das pessoas que atuam na linha de frente no combate ao coronavírus”, disse Cardoso.

Segundo ele, o escudo protetor encobre a máscara cirúrgica e os óculos utilizados pelos profissionais, garantindo maior segurança no trabalho. Os escudos protetores, que são feitos de plástico, tipo pet, serão inicialmente fornecidos para funcionários do SAMU e dos hospitais.

Cardoso disse que a ideia é distribuir os equipamentos para todo o Litoral Norte. “É muito importante mencionar que os primeiros lotes serão destinados, sem custos, ao litoral norte e quem receber as máscaras assinará um compromisso de usá-la adequadamente e destiná-la aos profissionais de saúde especificados, para evitar que sejam desviadas e vendidas pois é’ um equipamento de proteção muito difícil de se conseguir hoje”, informou Cardoso.

Segundo Cardoso, as prefeituras devem fazer uma parceria com a Fatec, fornecendo apenas o material para a produção de escudos protetores para suas equipes de saúde. Ele disse que este tipo de equipamento está sendo utilizado no mundo todo e, que em alguns locais, já estaria em falta.

O professor Daniel Jung e sua equipe estão desde ontem trabalhando na produção e na montagem das máscaras. A máquina recorta as viseiras e o pessoal da Fatec faz a montagem.

Segundo Jung, o projeto tem parceiros, como o Barlavento Coworking, de Caraguatatuba e a Supereco. “Pretendemos produzir 200 máscaras por dia. Contamos com a ajuda de cinco alunos voluntários que ajudam na montagem. Tem muitos voluntários querendo ajudar e participar da produção, mas devido ao coronavírus, vamos produzir por turnos, sempre com cinco ou seis pessoas, para evitar a aglomeração”, disse Jung.

As pessoas ou empresários interessados em investir na compra do material para produção das máscaras devem entrar em contato com Marcelo Fernandes, da Barlavento Coworking, através do telefone (12) 99672-6088. Jung contou que a Supereco desenvolve um projeto com artesãos do bairro de São Francisco, em São sebastião, para produção de máscaras de tecido.

Vídeo mostra linha de montagem dos escudos protetores de rosto (Face Shield) na Fatec, em São Sebastião:

 

As primeiras 60 máscaras produzidas pelo projeto foram entregues ao SAMU, por Daniel Jung, no início da tarde desta sexta-feira(10).