Cidades São Sebastião

Ecobus comunica prefeitura que irá demitir 133 funcionários

A empresa Ecobus notificou a prefeitura de São Sebastião que a partir do dia 22 irá demitir 133 de seus 276 funcionários.

A empresa alega que enfrenta dificuldades financeiras devido à pandemia de coronavírus. Segundo a Ecobus, a queda no faturamento da empresa foi de 85%.

A Ecobus informou ainda que em 25 de março encaminhou pedido de medidas emergências pela prefeitura no sentido de socorrer financeiramente o setor de transporte coletivo urbano de passageiros, uma vez que, já era patente o desequilíbrio econômico financeiro do Contrato de Concessão, ante as medidas impostas pelo Município em restringir a circulação de pessoas, bem como abertura de comércios.

A Ecobus alega ainda que a concessionária é credora junto a Municipalidade do valor aproximado de R$ RS 1.8000,000, 00, relativos a serviços executados e não pagos.

A empresa explicou ainda que celebrou junto ao Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários, Urbano, Cargas, Anexo e Diferenciado do Litoral Norte a redução de salários e carga horária em 50% de todos os seus colaboradores, mas que mesmo com adoção de todas essas medidas não tem mais condições de honrar com a folha de pagamentos dos seus colaboradores.

O presidente do sindicado, Francisco Israel disse que a situação financeira na empresa já estava muito difícil desde o final do ano passado e agora, com a queda no uso do transporte, devido a pandemia, a situação teria se agravado mais.

“Recebemos a notificação e na quarta-feira(22) Vamos nos reunir com o jurídico do sindicato para tentar encontrar uma solução que evite as demissões. Vamos tentar também conversar com a empresa para tentar manter os funcionários”, disse Francisco.

Caraguatatuba

Em Caraguatatuba, a empresa Praiamar Transportes também protocolou um ofício na prefeitura alegando queda de 85% no transporte coletivo. A Praiamar solicita que a prefeitura subsidie o  transporte pois a empresa estaria enfrentando um colapso financeiro e já não teria recursos para pagar seus funcionários.

A empresa alega ainda que a pandemia de coronavírus e os três anos sem reajuste na tarifa complicaram a sua situação financeira. A Prefeitura de Caraguatatuba informou que o documento foi protocolado na Secretaria de Mobilidade Urbana e Proteção ao Cidadão e será analisado pela Secretaria de Assuntos Jurídicos.