Cidades Ilhabela Notícias

Moradores de Ilhabela denunciam descarte irregular de lixo após noites movimentadas na Vila

Moradores de Ilhabela estão preocupados com a grande quantidade de lixo após o fluxo de adolescentes, jovens e adultos nas ruas da Vila durante o final de semana. A Prefeitura retirou 3 toneladas de lixo na Vila de sexta-feira (3) até a manhã desta segunda-feira (6). Vídeos e fotos divulgadas nas redes sociais denunciam e apontam o problema enfrentado pelo município. 

Segundo relato dos moradores, o problema de descarte irregular e desordenado do lixo não acontece somente em finais de semana de feriado prolongado ou quando há veranistas na cidade, eles dizem que mesmo com a restrição para turistas, os encontros aconteciam entre os jovens residentes do município.

Kika Campos, vice-presidente do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) de Ilhabela, diz que “isso já aconteceu em outros anos aqui na cidade. Começou esse fluxo de jovens bebendo na rua e até muitos menores e adolescentes iam para a Vila e passavam a madrugada bebendo, com som alto nos carros e descartando o lixo de forma irregular”, relata Kika.

Os moradores se preocupam com questões como a segurança no local, lixo que pode ir parar no mar e afetar a vida marinha e poluição sonora causada pelos encontros. “A Vila é um lugar onde o morador vai com a família, o turista vai para sentar em um barzinho, jantar, levar a criança para tomar um sorvete e brincar na praça. Essa concentração de jovens aglomerados impede essas atividades familiares, não temos mais a segurança de passear pelo local. Essa situação não é boa para ninguém. Eles dominam a rua, deixam muito lixo, ficam com música alta tocando até 5h, 6h da manhã e limitam o lazer” relata a vice-presidente do Conseg. 

Segundo a professora da rede pública e particular, Márcia Crellin, que mora no bairro Itaquanduba, as escolas públicas e privadas do município já atuam fortemente na conscientização dos alunos e há a necessidade de ações em outras esferas da comunidade, inclusive em casa. “Inúmeras escolas, levam alunos para a limpeza de praias. Somente neste curto semestre em todas as escolas ocorreu formação do Viva Instituto Verde Azul para os educadores. Esse projeto está sendo replicado em sala de aula, além de um outro projeto da Família Schurmann. Ambos em andamento nas escolas da rede pública municipal. Porém, o exemplo tem que vir de casa”, pontua a educadora. 

Márcia esclarece ainda o quanto a falta de conscientização ambiental pode afetar diversos setores do arquipélago. “Se o turista não se sensibilizar que o lixo que ele descarta incorretamente afetará o lugar paradisíaco que ele buscou, nada modificará. Temos que dar o exemplo para sermos respeitados”. Ela diz também que precisa haver mais educação ambiental para a população e para turistas sobre o impacto do lixo no próprio sustento. “Sem natureza e com mar poluído perdemos nossa fonte de renda”, resume.

A grande quantidade de pessoas durante os feriados e temporada de verão também preocupa a moradora do bairro Taubaté/Mexilhões e presidente da Amabsul (Associação de Moradores e Amigos dos Bairros Sul de Ilhabela) Regina Baptista Pereira. “Não temos capacidade hídrica nem de saneamento para receber uma quantidade tão grande de pessoas – temos recursos escassos. Fora isso, faltam lixeiras – as que têm são insuficientes”, pontua Regina.

Para Adriana Lolkus, moradora do bairro São Pedro, “o grande perigo desse lixo é que é levado pelo vento para o mar e atinge a fauna marinha, impactando no turismo de observação e também na pesca, pois o local fica ao lado do mar”, esclarece a moradora.

 Soluções já realizadas e propostas futuras

As moradoras indicaram ações realizadas em outros anos para conter os rolezinhos que funcionaram e propõem que a operação seja retomada. “Em outros anos, a Prefeitura, Conselho Tutelar e a Polícia Militar realizaram ações para conter esse tipo de encontro. Nessa ação os órgãos públicos abordavam os jovens e levavam embora, quando menores com bebida iam entender com os pais porque essa crianças estavam bebendo. Os comércios que vendiam de forma irregular para menores eram autuados. Essa ação resolveu o problema por um bom tempo e precisa ser retomada”, sugere a vice-presidente do Conseg.

Recomendam também ações integradas e conjuntas entre os órgãos públicos e privados para solucionar o problema. “Uma coisa importante aqui são câmeras, precisamos da instalação de câmeras, algum controle, uma revista para identificar se estão com drogas, se menores estão se alcoolizando, quais comércios estão vendendo álcool para menores e muita conscientização ambiental”, finaliza. 

Prefeitura

Questionada pelo portal Tamoios News sobre as reclamações a respeito do lixo, a prefeitura de Ilhabela enviou a seguinte resposta:

“A Prefeitura de Ilhabela esclarece que o lixo na região da Vila foi registrado de sábado para domingo em função da presença de pessoas durante a madrugada. A equipe da Secretaria de Serviços Urbanos concluiu a limpeza do local antes das 8h. O local possui cerca de 30 lixeiras em vários locais e quatro contêineres na região da Vila, mas infelizmente as pessoas que ali passaram não tiveram a conscientização. Segundo a Secretaria de Urbanos, foram recolhidas cerca de 3 toneladas de lixo na Vila de sexta-feira até a manhã desta segunda-feira (06/09). Importante ressaltar que não houve nenhum registro de brigas no local, que contava com a presença de três viaturas da Polícia Militar. O prefeito Toninho Colucci já iniciou as discussões sobre o chamado Plano de Cargas na cidade, ou seja, limitar o número de veículos e turistas principalmente nos feriados e alta temporada. Existe a preocupação em superlotar praias e vias públicas.”