Cidades Notícias

Pesquisa do Módulo e da Fass mostra que preço da cesta básica reduziu em três cidades do Litoral Norte

Imagem ilustrativa. (Foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG)

A pesquisa da Cesta Básica Alimentar é realizada pelo Centro Universitário Módulo e a Faculdade de São Sebastião – FASS, duas instituições do Grupo Cruzeiro do Sul Educacional, desde janeiro de 2018, nos quatro municípios do Litoral Norte do Estado de São Paulo: Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba. A pesquisa utiliza metodologia similar à aplicada pelo DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – em São Paulo para verificar os preços e as variações de 13 produtos básicos de alimentação. O objetivo da pesquisa é identificar a variação dos preços dos produtos que compõe a Cesta Básica Alimentar nos municípios do Litoral Norte do estado de São Paulo. A coleta de preços é feita mensalmente em 12 supermercados, 3 em cada um dos municípios.

Resultado no mês (junho de 2021)

O preço da cesta básica no mês de junho no Litoral Norte/SP reduziu em 3 dos municípios, com aumento em um deles. A Tabela 1 indica a variação nos preços da cesta básica nos quatro municípios no mês de junho, em relação ao mês de maio. Entre os municípios as variações foram: Caraguatatuba (- 2,23%), Ilhabela ( – 1,31%), São Sebastião (- 0,98%) e Ubatuba (+ 0,35%). A média dos preços nos municípios reduziu de R$ 594,42 em maio de 2021 para R$ 587,55 em junho, variação de – 1,15%. Essa queda média nos preços da cesta ocorre após quatro meses consecutivos
de altas. Indicando que o preços dos alimentos básicos continua em um patamar muito elevado.

Tabela 1 – Variação e preço da Cesta Básica Alimentar

O Gráfico 1 apresenta o preço da cesta básica nos 4 municípios do Litoral Norte e a média em junho de 2021. O preço da cesta básica mais elevado foi registrado no município São Sebastião R$ 606,94 e o menor preço em Caraguatatuba R$ 570,37. A diferença entre a cidade que tem a cesta básica mais cara (São Sebastião) em relação a mais barata (Ubatuba) em maio foi de 6,95%. Já em junho, essa diferença entre a cesta mais cara (São Sebastião) e a mais barata (Caraguatatuba) reduziu para 6,41%. Destaque desse mês foi Caraguatatuba, que com a redução mais acentuada no preço da cesta, voltou a ser o município com o menor preço. Nos meses de abril e maio esse posto de cesta mais barata foi ocupado pelo município de Ubatuba.

Gráfico 1 – Valor da Cesta Básica em junho de 2021, em reais

Dos 13 produtos que compõe a cesta, em junho, 8 apresentaram alta nos preços e 5 apresentaram recuo na comparação com os preços do mês de maio, conforme apresentado na Tabela 2. Os produtos que apresentaram maiores altas no mês de junho foram: açúcar (+ 5,79%), manteiga (+ 5,27%), café (+ 5,06%), Carnes (+ 4,62%) e leite (+ 2,29%). Enquanto os produtos que apresentaram maiores reduções foram: tomate (- 23,62%), batata (- 16,45%), banana (-9,81%) e arroz (-5,79%). Cabe destacar que os produtos que tiveram reduções nos preços tiveram variações maiores do que os que apresentaram aumento nos preços. Por isso a média de preços experimentou redução.

Tabela 2 – Variação em percentual nos preços dos produtos que compõe a Cesta nos últimos dois meses

O açúcar, também, figura entre os produtos com maior preço nos últimos três meses, o que é consequência da maior elevação dos preços internacionais do produto e a queda da produção de cana-de-açúcar no Brasil com a seca mais intensa em 2021, consequentemente ocorreu a redução da oferta de cana-de-açúcar, provocando o aumento dos preços dos seus derivados como o açúcar e o etanol (produto que não é objeto dessa pesquisa).

O aumento no preço da manteiga e do leite é consequência da chegada do inverno com a piora da qualidade das pastagens, que reduz a alimentação para o gado e provoca aumento dos custos de produção com o aumento da utilização de ração. Cabe destacar, também, o aumento nos preços da ração que tem como base para a produção soja e milho, produtos que apresentaram forte elevação no último ano.

O amento no preço do café é consequência da redução da produção. Conforme estimativa da EMBRAPA a produção total dos Cafés do Brasil para esta safra de 2021 foi estimada em 48,80 milhões de sacas de 60kg, das quais 33,36 milhões são de café da espécie arábica e 15,44 milhões de café conilon. Tal estimativa representa uma redução de 22,6% da safra de 2021 em comparação com a de 2020, que foi de 63,07 milhões de sacas. (fonte: https://www.embrapa.br/busca-denoticias/-/noticia/62520035/estimativa-da-safra-dos-cafes-do-brasil-de-2021-tem-reducao-de226-em-comparacao-com-2020).

O aumento no preço da Carne Bovina é consequência da redução da oferta de bezerros para a engorda, aumento das exportações e aumento nos custos de produção com a alta no preço do milho e farelo de soja.

A boa notícia para consumidores foi a redução no preço do tomate, que foi o grande vilão da cesta nos meses de abril e maio, com a chegada de uma nova safra aumentou a oferta e os preços recuaram.

A batata e banana pelo segundo mês consecutivos figura entre os produtos com maior redução de preços, consequência de maior oferta no mercado interno com a chegada de uma maior produção ao mercado.

O destaque em relação a redução dos preços em junho foi o arroz, produto que foi um dos grandes vilões da cesta no ano de 2020, mas com a chegada de uma nova safra ao mercado e o aumento da produção em 3,9%, conforme dados da Conab (fonte: https://www.conab.gov.br/ultimas-noticias/3989-producao-de-graos-tem-previsao-de-aumentode-5-7-chegando-a-271-7-milhoes-de-toneladas).

Resultados nos últimos 12 meses

A variação nos preços dos produtos da cesta básica nos últimos 12 meses exclui fatores sazonais como a alta e a baixa temporada, características dos municípios litorâneos ou variações decorrentes dos períodos do ano como safra e entressafra, típicas dos produtos agropecuários. A comparação anual, conforme Tabela 3, aponta o aumento de preços da cesta básica no mês de junho de 2021 em comparação à junho de 2020. O preço da cesta básica aumentou nos quatro municípios do Litoral Norte, em Caraguatatuba (+ 25,67%), Ilhabela (+ 24,13%), São Sebastião (+ 25,77%) e Ubatuba (+ 25,85). Nos últimos 12 meses os preços da cesta apresentaram variação de + 25,34%, muito superior em relação a prévia da inflação nacional que é Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), cuja variação nos últimos nos últimos 12 meses (de maio 2020 a maio de 2021) foi de 8,13%. Ou seja, a cesta aumentou três vezes mais do que a inflação nos últimos 12 meses.

Tabela 3 – Variação e preço da Cesta Básica Alimentar – 12 meses

O aumento nos preços dos alimentos básicos é muito preocupante, pois atinge mais diretamente a população com menor renda, que gasta proporcionalmente mais na aquisição desses bens. Ou seja, a inflação dos pobres é maior do que a inflação média, considerando a redução do poder de compra dos que ganham menos. Por exemplo, quem ganha salário mínimo teve reajuste de 5,25% enquanto o custo da cesta básica teve elevação de 25,34%, quase cinco vezes mais.

A Tabela 4 aponta o preço médio e a variação dos 13 produtos que compõe a cesta básica alimentar nos últimos 12 meses. Entre os produtos que apresentaram maiores variações positivas nos últimos 12 meses, destaque para o óleo de soja (+ 91,88%), tomate (+ 55,71%) e carne bovina (+ 46,03%), manteiga (+ 35,69%) e arroz (+ 37,50%). Cabe destacar que mesmo com a redução em junho do preços do tomate e do arroz, esses produtos ainda figuram entre aqueles com maior alta nos últimos 12 meses. A carne bovina, o produto que tem o maior peso na cesta, também apresenta uma forte alta, assim ficando cada vez mais ausente do prato das famílias com menor renda.

Entre os produtos que apresentaram reduções de preços destaca-se a batata, consequência de uma maior safra em 2021, consequentemente com queda nos preços. A boa safra de feijão também contribuiu para a queda no preço do produto em 2021.

Tabela 4 – Preços dos 13 produtos que compõe a cesta básica, em reais, nos últimos 12 meses e variação de junho de 2020 a junho de 2021

O Gráfico 3 aponta a variação nos preços da cesta básica nos últimos 12 meses. O destaque é o aumento de julho a dezembro de 2020 no preço da cesta básica em 27,37%, saindo de R$ 456,63 em julho para R$ 581,59 em dezembro. E em 2021 há uma estabilidade nos preços no patamar elevado de dezembro.

O Gráfico 3 – preço da cesta básica no Litoral Norte nos últimos 12 meses

A Tabela 5 apresenta a variação dos preços nos últimos 12 meses no Litoral Norte.

Tabela 5 – Preço da Cesta Básica nos últimos 12 meses

A boa notícia no mês de junho de 2021 foi a redução no preço da cesta, após 4 meses consecutivos de alta. Essa redução foi resultado da queda no preços dos hortifruti. No entanto, os preços dos alimentos continuam altos nos últimos 12 meses, com variação bem superior a inflação média ou o aumento no salário mínimo.

Equipe Técnica