Cidades Notícias Ubatuba

Ubatuba inicia 2021 com desafios financeiros: R$27 milhões são de custos a pagar

Teatro de Ubatuba. (Foto: Tamoios News)

Além das fortes chuvas no começo do ano, a Prefeitura de Ubatuba iniciou 2021 com diversos desafios financeiros. A nova gestão assumiu a administração com R$ 27 milhões de reais com custos a pagar, sendo que R$ 17 milhões são de pronto pagamento, porém, sem recursos para efetuá-los. Por isso, a municipalidade está reestabelecendo esse fluxo de caixa (por meio de pagamento da parcela única do IPTU e viabilização de recursos) para honrar esse compromisso.

De acordo com informações da secretaria da Fazenda, é necessário lembrar que, ainda, há uma dívida de R$ 20 milhões proveniente de operação de crédito (a médio prazo) e uma diferença financeira, proveniente Instituto de Previdência, de R$4.728.108,00 – todos esses valores estão sendo apurados, porém, configuram uma dívida total na casa de R$50 milhões.

“Vamos ordenar o orçamento público solicitando verba ao governo do Estado e ao governo Federal, fazendo economia e cortando gastos, contando com a ajuda de todos para que atendam o princípio da economicidade. Cada secretaria está sendo instruída a otimizar recursos. Com muito trabalho vamos vencer essa batalha de colocar as finanças de Ubatuba em ordem para executar os serviços necessários melhorando a qualidade de vida de todos “, garantiu a prefeita Flavia Pascoal.

Mais dívidas

O Teatro Municipal Pedro Paulo Teixeira Pinto está com uma dívida em aberto com a fornecedora de energia do município no valor de R$ 456.865,65 reais, referente ao consumo de energia no período de fevereiro de 2019 a janeiro de 2021.

A atual gestão já abriu um processo para renegociar a dívida, evitando a suspensão do uso do equipamento.

O diagnóstico foi feito pela Companhia Municipal de Turismo – Comtur, que está realizando o levantamento situacional dos equipamentos públicos sob sua gestão, promovendo análise das situações estruturais, administrativas, operacionais e financeiras.

Por meio do Decreto 6634/17, a gestão do Teatro está sob a responsabilidade compartilhada entre a Comtur e a Fundação de Arte e Cultura – Fundart. Cabe à Comtur a zeladoria pela manutenção, limpeza, conservação, segurança e administração financeira do local.

Fonte: PMU