Saúde e Bem Estar

Municípios mantêm atividades de rotina contra Aedes aegypti antes da chegada do verão

Na região, além da dengue, já foram registrados casos de zika e chikungunya; densidade larvária está satisfatória, segundo vigilância

Por Gustavo Nascimento, de São Sebastião

Para evitar um novo “boom” de casos de dengue, zika e chikungunya, transmitidos pelo Aedes aegypti, principalmente no período do verão, as prefeituras do Litoral Norte trabalham em ações de rotina neste período de transição do inverno para a Primavera.

Tradicionalmente, o número de casos dessas doenças aumenta devido às altas temperaturas e também o período de chuvas, que faz com que a água parada em uma simples tampinha de garrafa, aliada ao calor, possa comprometer a saúde da população.

São Sebastião, que já bateu recordes em casos de dengue, encontra-se com a situação controlada este ano, segundo a prefeitura. O município confirmou 50 casos no decorrer de 2016. Não houve nenhum óbito em função do vírus, e na cidade há um setor especializado na secretaria de Saúde denominado ‘Casa da Dengue’.

De acordo com a prefeitura, de junho a setembro (2º quadrimestre de 2016) foram mais de 15 mil imóveis visitados e realizadas ações como arrastão, bloqueio e controle de criadouros, entre outras. São 70 agentes para cobrir todo o município.

Já Ilhabela, promove atividades de rotina, inclusive aos sábados nas casas de veraneio. Acontecem ainda campanhas e atividades educativas junto às escolas. O Índice de Densidade Larvária do município (ADL) mais recente ficou em 0,2, considerado ideal.

Somente no mês de agosto, as equipes compostas por 26 agentes de controle de vetores visitaram 7104 imóveis. De janeiro até o dia 14 de setembro, o arquipélago confirmou 131 casos de dengue (sendo 21 importados), quatro casos importados de zika e seis casos importados de chikungunya. Somente em 2015 foram 1025 casos de dengue (sendo 73 importados).

Em Caraguatatuba, conforme balanço enviado pela diretoria de saúde coletiva do município, a equipe de controle da dengue do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) visitou 1511 imóveis, tendo como resultado ADL de 0,6 (situação satisfatória), segundo o Ministério da Saúde.

Agora as equipes efetuam trabalho de vistoria e eliminação de criadouros em pontos estratégicos. Essa ação também é realizada nos imóveis aos sábados até o mês de dezembro. Do início do ano até agora, o CCZ ministrou 31 palestras.

Em nota, a Prefeitura de Caraguatatuba afirmou que o município conta com 20 agentes de zoonoses e 164 agentes comunitários de saúde que atuam nas visitas casa-a-casa, mas não informou os números da dengue deste ano.

A reportagem do Tamoios News também entrou em contato com a Prefeitura de Ubatuba no dia 13 de setembro para abordar o assunto, mas não obteve retorno até o fechamento.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.