Saúde e Bem Estar

Prefeitura de Ilhabela alerta que uso do “fumacê” é contra indicado pela Sucen no combate à Dengue

Divulgação

Divulgação

Município adota diversas medidas de combate ao Aedes aegipty, entre elas, arrastões, visitas domiciliares, nebulização e campanhas de orientação

Com a chegada do verão e o consequente aumento do número de mosquitos, a população pergunta: porque a Prefeitura de Ilhabela não faz o “Fumacê? Trata-se daquela técnica que utilizava um carro soltando fumaça e veneno pelas ruas da cidade.

A Secretaria de Saúde, por meio da Vigilância Epidemiológica, esclarece que apesar deste método ter sido largamente usado durante muito tempo para a eliminação dos mosquitos alados (voando), hoje sabe-se que além de ser tóxico, não produz o efeito esperado no combate ao mosquito e, pior ainda, causa resistência do inseto ao inseticida. A própria Sucen não indica este método.

Outra forma para aplicação do veneno é a “Nebulização”, no qual um profissional faz a aplicação manual nos domicílios e que é considerada eficaz.

Atualmente, o único inseticida eficaz contra o mosquito da Dengue, Zica e Chikungunya é o “Malathion” e a possibilidade do mosquito criar resistência é muito grande, tendo em vista o que aconteceu com muitos outros inseticidas que já foram usados e que não funcionam mais. Portanto, o uso deste veneno deve respeitar critérios e normas muito bem estabelecidas e somente deverá ser utilizado por meio de métodos que apresentem uma eficácia que justifique seu uso.

Assim, a maneira mais eficaz de acabar com o Aedes aegypti é eliminando criadouros que estão no domicílio ou no entorno da casa. Para isso, a Secretaria de Saúde faz um pedido a toda a população: reserve 10 minutos de sua semana para retirar criadouro deste mosquito da sua casa e no entorno. E fique livre da Dengue, Zica e Chikungunya.

Veja as principais ações da Prefeitura de Ilhabela no combate ao Aedes aegipty

  • Realização de visitas nos domicílios para retirar criadouros e realizar orientações (em 2015 foram realizadas visitas em 16.704 imóveis);
  • Realização de arrastões (limpeza das ruas e retirada de materiais inservíveis das residências);
  • Monitoramento de imóveis especiais (escolas, unidades de saúde, supermercados, …);
  • Notificação dos proprietários de residências e comércios para que eliminem criadouros em 48 horas, caso isso não ocorra, estes são multados (valor mínimo de R$ 1,5 mil)
  • Orientação de professores para palestras aos alunos;
  • Realização de campanhas educativas em escolas, marinas, templos religiosos, etc;
  • Distribuição de panfletos com orientações de como eliminar criadouros do mosquito e prevenção das três doenças: Dengue, Chikungunya e Zika. 
  • Campanhas na imprensa e de comunicação visual

Além destas, veja as novas ações adotadas em Ilhabela

  • Realização de nebulização nas regiões nas quais estão ocorrendo casos confirmados de Dengue (aplicação do inseticida com aplicador costal);
  • Disponibilização de repelente nos estabelecimentos públicos de saúde;
  • Distribuição de repelentes para todas as gestantes que estão no primeiro trimestre de gestação;
  • Contratação de novos agentes de controle de endemias;
  • Realização de reuniões entre secretarias da administração pública para discussão sobre o controle da dengue, Zika e Chikungunya no município e para reavaliação das ações;
  • Realização de arrastões de limpeza nos bairros nos quais estão ocorrendo casos de Dengue.

Fonte: Assessoria de Comunicação PMI

Deixe um Comentário

O Tamoios News isenta-se completamente de qualquer responsabilidade sobre os comentários publicados. Os comentários são de inteira responsabilidade do usuário (leitor) que o publica.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.