Cidades São Paulo

Doria reafirma que não pretende fechar estradas, portos e aeroportos

Em entrevista coletiva concedida na tarde desta quinta-feira(19), o governador João Doria, reafirmou que não irá interromper a circulação em estradas, portos e aeroportos devido ao coronavírus.

O Estado tem 240 casos confirmados de Covid-19 e quatro mortes. O secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann, informou que existem 16 pessoas internadas em estado grave com suspeita de coronavírus.

Estradas

Moradores e alguns prefeitos do Litoral Norte defendem o fechamento das estradas, entre elas, a Tamoios, para turistas e veranistas, mantendo livre o tráfego apenas para veículos que abastecem o comércio regional, quem trabalham fora da região e ambulâncias e viaturas. Alegam que suas estruturas de saúde não estão capacidades para atender muita gente em casos do coronavírus.

Centenas de pessoas liberadas para trabalhar em suas casas estão optando em viajar para o Litoral Norte e outras, procurando a região, para se protegerem do risco do coronavírus. O Litoral Norte tem 51 casos suspeitos e nenhum positivo de coronavírus.

” A pressão é grande, mas isso não poderá acontecer. Não podemos interromper o movimento nas estradas, aeroportos e portos. Isso não significa medidas adequadas para salvar vidas. Proibir não é uma forma adequada nesse momento. Isso iria gerar um colapso no abastecimento e nos serviços públicos. Os prefeitos vão entender isso”, disse o governador.

O infectologista David Uip, coordenador do comitê de combate ao coronavírus, disse que isso vem ocorrendo não apenas em direção ao litoral paulista, mas também, em direção as cidades do interior do estado. Segundo ele, trata-se de um direito legítimo de proteção. “O epicentro da doença é a capital. Estamos monitorando isso”, comentou.

Doria elogiou o Ministro da Infraestrutura, que proibiu ontem o fechamento do porto de Santos. Segundo Doria isso seria um desastre do ponto de vista do abastecimento público.

Indagado sobre a decisão dos prefeitos da Baixada Santistas de fecharem rodoviárias, hotéis, pousadas e as praias, Doria afirmou que essa decisão cabe aos prefeitos. “Trata-se de uma decisão soberana dos prefeitos”, disse.

A prioridade máxima do governo do estado, segundo ele, é a proteção de vidas. “Procurem proteger pais e avós. Eles devem ficar em casa. Não devem sair”, recomendou o governador.

Entre as novas medidas adotadas pelo governador: recomendou que igrejas católicas e evangélicas suspendam missas e cultos; suspendeu a cobrança de tarifa de água de 506 famílias incluídas na tarifa social por 90 dias; antecipou as férias de 165 mil professores estaduais a partir do dia 23; e, suspendeu a cobrança de dívida ativa para pessoas físicas e jurídicas por 90 dias.

error: Alerta: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: